ÁREA DO ASSOCIADO

30/05/2019

Opinião- Perspectivas otimistas com o Cadastro Positivo

O Cadastro Positivo fará um contraponto ao modelo atual, que somente analisa as dívidas e provoca restrições



por Emílio Angella Neto*

Desde abril, uma novidade almeja reaquecer a economia brasileira, após anos de incertezas. Aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente da República, a proposta que estende o Cadastro Positivo, está em vigor. Foram exaustivas discussões e mudanças em sua regulação, que, por fim, criaram uma nova forma de se avaliar a “saúde” financeira de pessoas físicas e jurídicas.

O sistema, existente desde 2011, permite a criação de um banco de dados sobre os chamados “bons pagadores”. Ou seja, aquela pessoa e/ou empresa que mantém seus compromissos financeiros em dia serão analisadas por empresas e entidades de proteção ao crédito. Esta análise levará em conta o comportamento do consumidor quanto ao pagamento de contas contínuas como energia elétrica, água e saneamento básico, serviços de telefonia e, até mesmo, financiamentos. O novo sistema ampliará a análise e resultará em uma pontuação (score), que pode ser usada para conceder desde descontos a prazos maiores. Será um verdadeiro aprimoramento nas análises de crédito.

O Cadastro Positivo fará um contraponto ao modelo atual, que somente analisa as dívidas e provoca restrições na hora de se obter crédito. É uma alternativa que o empresariado terá para proteger seu negócio e, claro, oferecer maiores condições para negociar. A perspectiva é que a inadimplência -um ponto crítico na economia, também seja reduzida. Somente em 2018 a Associação Comercial e Empresarial de Botucatu (ACEB) registrou mais de 3400 Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs) com algum tipo de dívida não quitada. O montante de débitos- somente com PF- foi de R$ 3,7 milhões no ano passado. Um valor significativo que deixou de circular na economia local. Obviamente que empresas perderam o fôlego de investimento e, por vezes, fecharam as portas.

Temos o anseio de que as mudanças sejam significativas para toda a classe empresarial e que a economia tenha mais um “respiro” nestes momentos turbulentos pelos quais o país todo atravessa. O Cadastro Positivo veio para ficar e premiar os bons pagadores.

*Emílio Angella Neto é presidente da Associação Comercial e Empresarial de Botucatu

 

voltar