ÁREA DO ASSOCIADO

24/09/2021

ACEB e entidades do comércio firmam parceria com a Prefeitura de Botucatu para a retomada econômica



Após a vacinação em massa da população botucatuense, os empresários já vislumbram um cenário positivo de retomada. Diante disso, a Associação Comercial de Botucatu (ACEB), o Sindicato do Comércio Varejista de Botucatu (Sincomércio) e o Sindicato dos Comerciários de Botucatu (Sincomerciários), desenvolveram um projeto para a retomada econômica: “É a Hora de Botucatu”. Visando abranger diversos setores, as entidades firmaram uma parceria com a Prefeitura Municipal.

Entre as propostas está a realização de campanhas de incentivo às compras. Em determinadas datas, diversos eventos artísticos e recreativos ocorrerão nos principais corredores comerciais. De acordo com Ricardo José Pauletti, Presidente da ACEB, as ações poderão ser fixadas no calendário anual: “Estamos confiantes de que as ações impulsionarão as vendas e a consequente retomada dos negócios. O sucesso dessa iniciativa possibilitará criarmos um calendário anual de campanhas. Acreditamos que com o apoio dos empresários e entidades correlatas, Botucatu, assim como na vacinação, será mais uma vez, exemplo para o país.”, destacou Ricardo.

A Prefeitura de Botucatu, preocupada com os impactos da pandemia de Covid-19, se prontificou de imediato a apoiar o projeto. Segundo o Prefeito Municipal, Mário Pardini, o projeto auxiliará na retomada: “Sabemos que muitos negócios não resistiram à crise ocasionada pela pandemia. O projeto está alinhado à nossa forma de trabalho, pois contempla ações que promoverão a retomada dos negócios e a geração de emprego e renda em nosso município.”, afirmou Pardini.

A iniciativa tem como objetivo levar vantagens reais aos consumidores, de forma a estimular o consumo, bem como gerar empregos e riqueza. Nas oportunidades, os comerciantes poderão criar promoções, ofertas e descontos no comércio. Os detalhes da iniciativa serão apresentados em breve.

A ACEB continua a sustentar, defender e reivindicar, perante os poderes públicos, os interesses e as aspirações coletivas das empresas. Sua atuação visa desenvolver um sistema econômico, político, social e cultural pautado na liberdade individual e na livre-iniciativa.


voltar