ÁREA DO ASSOCIADO

31/10/2019

ACEB e Correios apresentam estratégias de posicionamento no e-commerce

Foram apresentados aspectos como implantação de de lojas virtuais, estratégias de captação de audiência



Tendência cada vez mais consolidada no varejo, o e-commerce mostra gradativo crescimento na preferência de consumidores e se torna alternativa ao empreendedor no momento de agregar alternativas na expansão de negócios. Ou seja, comprar e vender de forma remota é um nicho de mercado a crescer de maneira acentuada.

Esta realidade é constatada no dia a dia do consumidor brasileiro. Cada vez mais opta-se por efetuar, desde pesquisas de preços a compras variadas. Pesquisa contida na 40ª edição do Webshoppers e divulgada em agosto deste ano pela Ebit/Nilsen apontou o crescimento de 12% nas compras online no país, patamar idêntico ao registrado no mesmo período de 2018, representando faturamento às empresas de R$ 26,4 bilhões. Esta crescente ainda é mais impactante quando se analisado de 2007 a 2019, quando o comércio eletrônico teve alta de 290%. 

O levantamento ainda constatou que 5,3 milhões de consumidores fizeram sua primeira compra de maneira online no período (ou 18% do acumulado nos primeiros seis meses do ano). A plataforma de negociação mais acionada é por dispositivos móveis, onde o cliente busca, em essência, encontrar as marcas tradicionais do varejo dentro do ambiente virtual. 

Para apresentar esta realidade a empreendedores do varejo de Botucatu e região, a Associação Comercial e Empresarial de Botucatu (ACEB) promoveu, dia 28 de outubro, em parceria com os Correios, a palestra “eSoluções – Do desejo de compra ao frete”. Objetivo foi de traçar um panorama das tendências no varejo, bem como de estratégias de se otimizar a presença da empresa ou marca no ambiente virtual.

Durante a capacitação, o consultor em marketing digital pelos Correios, Warley Pires, apresentou aspectos como implantação de de lojas virtuais, estratégias de captação de audiência, geração de conteúdo e otimização de anúncios por meio de plataformas como Google ADS, impulsionamento em mídias sociais digitais, entre outras.  

“A cada dia há uma imersão maior no comércio eletrônico, fazendo com que as próprias empresas tradicionais vejam o ambiente virtual como aliado na captação de clientes e ampliar as possibilidades de negócios. Mas isso demanda investimento em tecnologia e estratégias de logística”, salientou o consultor. 

Outros pontos abordados frisaram as políticas de frete instituídas pelos Correios, como a malha de abrangência da estatal na distribuição de produtos, limites de cargas, descontos e promoções de envios. “O frete, em si, não é o principal empecilho na hora de se finalizar uma compra, mas sim como o produto está sendo apresentado, se o mesmo foi visualizado pelas audiências ou se o mesmo está em estoque suficiente”, frisou Pires.

Para o presidente da ACEB, Emílio Angella Neto, apresentar tendências e meios a empreendedores do varejo mostra a nova dinâmica que o segmento atravessa. “Sabe-se que o comércio eletrônico ganha cada vez mais espaço e o varejo precisa saber como usar esta ferramenta de forma a se obter o máximo de resultados. Mesmo se a empresa ainda não trabalha com e-commerce, esta estratégia tem que ser vista como algo que agregará em vendas e visibilidade. Mas não basta apenas colocar o produto na internet e não saber divulgá-lo ou mesmo entregar de forma ágil e com o máximo de segurança e integridade do que foi comercializado”, ressaltou.

Fonte: Assessoria de Imprensa ACEB


voltar